Governança de dados é tema de encontro em Brasília

A TGV Tecnologia e a Informatica reuniram gestores em encontro corporativo para discutir as atualidades mercadológicas e os desafios para os negócios a partir do uso de dados

09 de maio 3 min de leitura

Encontro governança de dados

A carência de pessoal qualificado em governança de dados e a segurança da informação foram alguns dos desafios apontados no encontro promovido pela TGV Tecnologia e Informatica, no dia 4 de maio, em Brasília. O encontro contou com a participação de gestores do setor público e da iniciativa privada, que debaterem temas sensíveis ao tratamento de dados, como potenciais fontes de informação.

Segundo a coordenadora do Escritório de Governança de Dados e Informação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), Shirley Pimenta, os dados, quando tratados de forma sistematizada, orientados por políticas e diretrizes adequadas, com o cuidado devido e necessário, funcionam como um modelo da realidade e, muitas vezes, devem ser utilizados para orientar a tomada de decisão nos negócios organizacionais.

Governança de Dados
Shirley Pimenta fala sobre jornada da Aneel rumo à cultura do data-driven government

A coordenadora da Aneel contou um pouco sobre a jornada da Agência rumo ao aprimoramento da governança de seus dados. De acordo com ela, é ampla e bastante volumosa a quantidade de dados oriundos de diferentes players do setor elétrico que chegam à Aneel pelos mais diferentes canais e nos mais diferentes formatos. Nesse cenário, foi indispensável à Agência se dedicar à organização, ao controle, à qualidade, à mitigação de riscos e à integração no uso dos dados.

 

Estamos implementando uma política de governança de dados capaz de mudar a cultura da instituição para assegurar o tratamento dos dados como ativos operacionais e estratégicos” – Shirley Pimenta.

 

Ela lembrou que são diversos os problemas relacionados ao tratamento de dados para os quais a governança de dados pode ser empregada como parte da solução. Shirley defendeu que essa área do conhecimento deva ser compreendida como uma ferramenta em prol da melhoria na prestação de serviços públicos e na eficiência das organizações. Destacou ainda que a governança de dados é meio para se consolidar a cultura do data-driven government

Tratamento de dados e seus desafios

Para o gerente da área de Dados e Analytics no Banco de Brasília (BRB), Alberto Castro, um dos desafios no tratamento de dados na atualidade é o déficit de mão de obra qualificada. Em 2019, a Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) e de Tecnologias Digitais (Brasscom) apontou que o número de profissionais formados em TI no Brasil chega à média de 45 mil alunos por ano, enquanto a demanda estimada no mercado, entre 2019 e 2024, alcança aproximadamente 70 mil especialistas. Segundo a entidade, cursos e treinamentos realizados por empresas podem ser uma boa estratégia para auxiliar na redução desse déficit.

Proteção de dados
Alberto Castro ressalta importância da formação qualificada em tratamento de dados

Outro ponto destacado pelo gerente do Banco de Brasília, é o desenvolvimento de novas ferramentas para o mascaramento e anonimização de dados. É cada vez mais importante assegurar o acesso seguro aos dados que trafegam pelas organizações, garantindo compliance com as leis de proteção de dados.

Além de gestores públicos e privados, também participaram do encontro corporativo o diretor de Pré-vendas, Carlos Salvador, e o gerente-executivo de Contas, Carlos Arouca, ambos da Informatica, empresa líder na integração de dados e parceira da TGV Tecnologia desde 2011.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.